MUNDIAL DE MOTOCROSS 2015 – MX2 MAGGIORA 9ª ETAPA

Bom dia galera, como vai? Gostaram da matéria da MXGP? Se não conferiram, não perca aqui!

Agora, se vocês conferiram, vocês perceberam que as condições da pista estavam simplesmente ANIMAIS. A chuva torrencial que acompanhou os dias antes da prova só foram dar uma trégua minutos antes de cair o gate da MX2. E sério, se estava difícil até para as 450cc e seus motores superpotentes, imaginem o esforço dos pilotos da MX2. Vamos com a gente?

As últimas corridas da MX2 tem sido especialmente divertidas. Temos acompanhado um duelo incansável entre Jeffrey Herlings e Valentin Guillod, onde os dois pilotos se separam do restante do pelotão. E é de Guillod que vou falar primeiro, e não, ele não foi o vencedor do GP. Aliás, longe disso. Valentin Guillod ficou fora dos 7 primeiros, após tombos fortissimos nas duas baterias. Veja abaixo um deles.

E sem Valentin Guillod, foi Jeffrey Herlings que venceu o GP? Não senhor! Em condições extremas, vence uma corrida quem menos erra, e foi exatamente isso que o garoto estrela da Honda Team Gariboldi fez! O prodígio Tim Gajser que já venceu um overall esse ano, repetiu a dose com duas corridas brilhantes e sem nenhuma vitória. CONSTANCE IS EVERYTHING!

Tim Gajser incrívelmente imundo foi o mais constante dos garotos da MX2 e conquistou um surpreendente 3-2. foto: MXGP

Tim Gajser incrívelmente imundo foi o mais constante dos garotos da MX2 e conquistou um surpreendente 3-2. foto: MXGP

E agora sim, em segundo lugar, o holandês voador Jeffrey Herlings. O piloto atual lider do campeonato era sem duvidas o mais rápido, porém a lama de Maggiora não perdoa, e a vitória na segunda bateria não foi o suficiente para recuperar o prejuízo do tombo na primeira bateria, que lhe deu somente um 6º lugar.

herlings quase que irreconhecível conheceu bem a lama de Maggiora. Um tombo na primeira bateria tirou a vitória das mãos de Herlings, e francamente, foi ótimo! foto: MXGP

herlings quase que irreconhecível conheceu bem a lama de Maggiora. Um tombo na primeira bateria tirou a vitória das mãos de Herlings, e francamente, foi ótimo! foto: MXGP

Uma prova com tantos acidentes, nos reserva algumas surpresas um tanto quanto inesperadas, claro, até porque são surpresas, mas voltando. Com tantas quedas, mais inesperada que a vitória de Tim Gajser, foi a terceira colocação do até então ausente do podium, Jeremy Seweer. E não foi ao acaso, o piloto suiço que assumiu o lugar de Glen Coldenhoff fez ótimos resultados de 4-3 e só não ficou em segundo na geral por somente 2 míseros pontos.

Não se enganem, a roupa limpa de Jeremy Seweer só esta assim porque a foto foi nas primeiras voltas. Esse foi o melhor resultado do piloto no Mundial do Motocross; 3º no overall após um 4-3. foto: MXGP

Não se enganem, a roupa limpa de Jeremy Seweer só esta assim porque a foto foi nas primeiras voltas. Esse foi o melhor resultado do piloto no Mundial do Motocross; 3º no overall após um 4-3. foto: MXGP

A quarta colocação ficou com o russo Aleksander Tonkov. Esse é um resultado que é normal para o piloto que já chegou até a fazer podiums. Mas a parte surpreendente é que o piloto venceu a primeira bateria com uma pilotagem sensacionalmente rápida e agressiva na lama. Porém a péssima tentativa de ultrapassagem em Paul Jonass tirou de Tonkov a chance de outra posição brilhante na segunda bateria. Veja o vídeo abaixo:

Tonkov limpinho antes de acertar em cheio Paul Jonass naquilo que chamamos de a ultrapassagem mais mal pensada da temporada. O resultado de 1-8 deram a Tonkov o 4º lugar no overall e com certeza algumas horas embaixo do chuveiro após o mergulho na lama. foto: MXGP

Tonkov limpinho antes de acertar em cheio Paul Jonass naquilo que chamamos de a ultrapassagem mais mal pensada da temporada. O resultado de 1-8 deram a Tonkov o 4º lugar no overall e com certeza algumas horas embaixo do chuveiro após o mergulho na lama. foto: MXGP

A quinta colocação ficou com um piloto que eu juro por tudo que eu nunca ouvi falar. As coisas que sei são essas: Sua moto é uma Yamaha (não é oficial “Team Rinaldi”) cujo número é 172, ele é um piloto da Belgica e para finalizar o top5 do final de semana, ele precisou de um 5-7. Seja quem você for, cara, meus parabéns.

Pouco sabemos sobre esse novo piloto, mas duas coisas. Nice scrub e parabéns por deixar caras como Max Anstie e Julien Lieber (6º e 7º respectivamente) para trás. foto: MXGP

Pouco sabemos sobre esse novo piloto, mas duas coisas. Nice scrub e parabéns por deixar caras como Max Anstie e Julien Lieber (6º e 7º respectivamente) para trás. foto: MXGP

Classificação do campeonato após 09 etapas:

1) Jeffrey Herlings 398 pts – 2º lugar no GP

2) Valentin Guillod 259 pts – 1oº ou mais no GP

3) Paul Jonass 259 pts – 10º ou mais no GP

4) Aleksander Tonkov 256 pts – 4º no GP

5) Tim Gajser 251 pts – 1º no GP

Podium da MX2. Foto: MX2

Podium da MX2. Foto: MX2

Ainda que Herlings não esteja conseguindo imprimir a mesma sequência de vitórias dos outros anos, mas ainda assim é o cara a ser batido. Mesmo nos dias ruins, o cara consegue transformar em dias bons. Ficou confuso né, veja bem. Segundos lugares foram as piores colocações de Herlings no ano, esses são os dias ruins que nós chamamos. Agora compare com Valentin Guillod, Paul Jonass ou Tim Gajser, aonde seus dias bons incluiram vitórias e podiuns, mas os dias ruins se dão através de resultados fora das 10 primeiras posições. E seguindo aquela icônica frase de Rick Carmichael “the bad days wins the good championships”, acredito que estou certo.

De qualquer maneira, eu tiro o chápeu para esses garotos que não aliviaram a mão em um só momento em uma das pistas mais assustadoras da temporada, seca, fará com esse barro impossível. Isso mostra realmente que ninguem está de brincadeira, e claro, é sempre ótimo ver caras unusuais no podium como Tim Gajser. E pra finalizar, mais um show de lambanças 😉

E valeu galera mas por hoje é só! Espero que tenham gostado de mais essa matéria e não deixem de curtir, comentar  compartilhar, sua opinião é importantíssima para que melhoremos cada vez mais nossas aparições por aqui!

Nos vemos semana que vem, em Teutschentall, e um fato curioso sobre Teutschentall é que desde que Ken Roczen saiu do Mundial de Motocross para o AMA Motocross, todas as vitórias lá pertenceram a Jeffrey Herlings, exceto no Mundial das Nações, em 2013. Já percebeu que não pode perder né?

Um forte abraço e braaaap!

;)

😉

Comentários

Comentáros

Leave a Reply