MUNDIAL DE MOTOCROSS 2015 – ÚLTIMA ETAPA MX2

Bom dia meus queridos e queridas, tudo bem com vocês?

Comigo está tudo ótimo! Estão preparados para uma matéria pra lá de completa?

Bem, não sei se notaram mas o vagabundo que aqui os escreve não publicou a matéria da MX2 da penúltima etapa, em Leon no México, mas eu juro que foi proposital. A etapa que em seu lugar não definiu o título da categoria serviria, (e serviu) como introdução pra matéria de despedida dessa temporada.

Bem, lá no México o vencedor na geral foi ele, Tim Gajser, aumentando ainda mais sua vantagem na busca pelo título, e dificultando a vida do seu rival número 1, Paul Jonass. Eu sinceramente não sinto a menor vontade pra falar desse GP, visto que a pista é um saco. Não entendo o que uma pista como Leon está fazendo no calendário, ocupando uma vaga que podia ser nossa, visto que foi no nosso território que caiu o título do GP mais bem elaborado das temporadas 2013 e 2014.

Voltando ao foco principal, Ahhhhhhh Glen Helen, porque ser tão, Glen Helen? A pista mais icônica dos Estados Unidos recebeu a última etapa que foi pra lá de especial.

  • Primeiro porque é Glen Helen. Sábios dizem que se você procurar a palavra “motocross” no dicionário e não aparecer uma foto do circuito localizado em San Bernardino; cara, você está fazendo isso errado.
  • Segundo que por ser a última etapa, vários pilotos tem Glen Helen como a preparação para o Motocross das Nações, fato esse que contribui para a inscrição de mais pilotos e mantém as expectativas sobre o que vai rolar no próximo final de semana.
  • Terceiro porque SEMPRE, SEMPRE, uma corrida do Mundial de Motocross nos Estados Unidos atrai vários pilotos americanos, que aproveitam a deixa pra mostrar quem manda nas literais terras do Tio Sam (uma vez que eles tem tomado um belo cacete nos últimos motocross das nações), aumentando ainda mais a lenha na fogueira na mística batalha “USA Vs Rest of the World”
Localizada nas montanhas de San Bernardino, Glen Helen faz partte dos sonhos de 12 entre 10 pilotos de motocross em todo o mundo. O forte calor desse final de semana presenteou os bravos guerreiros com temperaturas que chegaram a 43º. foto: MXGP

Localizada nas montanhas de San Bernardino, Glen Helen faz parte dos sonhos de 12 entre 10 pilotos de motocross em todo o mundo. O forte calor desse final de semana presenteou os bravos guerreiros com temperaturas que chegaram a 43º. foto: MXGP

E sem Jeffrey Herlings, quem seria o campeão da temporada mais disputada dos últimos 5 anos? Com Jordi Tixier fora da briga, a disputa pelo título estava entre pilotos que nunca nem chegaram perto dessa conquista, o que animou ainda mais as coisas. Sem mais delongas, vamos ao que rolou nesse final de semana.

Correndo em casa, os representantes dos Estados Unidos e da Troy Lee KTM, Jessy Nelson e Shane McElrath deram um show a parte; Principalmente Nelson, que não deu chances a mais ninguem e venceu as duas baterias, absoluto, com uma tocada impressionante. É de conhecimento comum que Nelson estava literalmente correndo em casa, visto que a sede da Troy Lee fica a poucos KM de Glen Helen. Veja abaixo e confirme o que estamos dizendo!

Como vocês podem ver no vídeo acima e na foto cuja legenda estou digitando, Jessy Nelson deu uma aula na verdade de como se pilota uma dirtbike em Glen Helen. Duas largadas perfeitas somadas com duas perfomances absolutas para Nelson. foto: VURBMOTO

Como vocês podem ver no vídeo acima e na foto cuja legenda estou digitando, Jessy Nelson deu uma aula na verdade de como se pilota uma dirtbike em Glen Helen. Duas largadas perfeitas somadas com duas perfomances absolutas para Nelson. foto: VURBMOTO

A segunda colocação, como já era de se esperar ficou com Shane McElrath, que na segunda bateria roubou a cena junto com Tim Gajser quando os dois whiparam lado a lado provocando reações eufóricas dos narradores, espectadores e escritores do Asupercross.

No caso, McElrath não foi tão dominante, ficou na segunda colocação na geral, com um 3-2 e uma perfomance pra lá de impressionante do piloto que já vem a um bom tempo tentando mostrar seu trabalho no AMA e sem tanto sucesso. Isso mostra o quanto o nível de ambos campeonatos é altissimo e equilibrado.

Shane McElrath comprovando que conhece cada CM de terra que tem em Glen Helen. Confesso que gostei da perfomance dos pilotos, que com a maior classe mandaram a mensagem: "That's our house". McElrath venceu também a classificatória de sábado. foto: MXGP

Shane McElrath comprovando que conhece cada CM de terra que tem em Glen Helen. Confesso que gostei da perfomance dos pilotos, que com a maior classe mandaram a mensagem: “That’s our house”. McElrath venceu também a classificatória de sábado. foto: MXGP

 

Depois dos americanos, o melhor piloto do Mundial em sí foi Valentin Guillod! O suiço da Yamaha que chegou a vencer outros GP’s e foi o único a conseguir bater Herlings, chegou a ser colocado como favorito ao título, mas Guillod sofreu a maior maré de azar já vista, uma vez que seus resultados bons acabaram junto com a presença de Herlings no gate. A terceira colocação em Glen Helen conta uma história diferente, porém presumo que seja tarde demais visto que essa foi a última etapa da temporada.

Whatever, Guillod andou forte, passou Gajser, e com resultados constantes de 5-3 ficou com a última colocação do podium.

Valentin Guillod encarando as subidas tenebrosas de Glen Helen. Foi nesse exato ponto onde Guillod ultrapassou Gajser na segunda bateria e tirou do novato a chance de comemorar o título com a terceira colocação. foto: MXGP

Valentin Guillod encarando as subidas tenebrosas de Glen Helen. Foi nesse exato ponto onde Guillod ultrapassou Gajser na segunda bateria e tirou do novato a chance de comemorar o título com a terceira colocação. foto: MXGP

OPA, ALGUEM DISSE TÍTULO?

Pois é, você não leu errado! O fucking titulo da temporada 2015 do Mundial de Motocross ficou com o quarto colocado na geral em Glen Helen, Tim Gajser! O garoto do Team Gariboldi Honda tem seu primeiro título mundial de MX, com apenas 18 anos! Muito mais do que merecido! Parabéns para Tim Gajser, que fez o dever de casa e venceu o duelo direto com Paul Jonass, com resultados de 6-4!

O garoto Tim Gajser foi o responsável por trazer de volta o título do Campeonato Mundial de Motocross ao time Honda após vários anos de jejum. foto: MXGP

O garoto Tim Gajser foi o responsável por trazer de volta o título do Campeonato Mundial de Motocross ao time Honda após vários anos de jejum. foto: MXGP

A quinta colocação em Glen Helen ficou com Max Anstie, que foi prejudicado quando se chocou com seu próprio parceiro de equipe e piloto da casa, Chris Aldredge que por sua vez com certeza também teria um final de semana de rei. Anstie e Aldredge foram 5º e 6º respectivamente.

E quanto Paul Jonass? O piloto da KTM não se acertou em Glen Helen, chegou a mostrar certo duelo com Tim Gajser mas alguns tombos lhe tiraram da jogada. Veja abaixo o piloto sendo superado por adversários bem inferiores. Realmente, não era o dia do novato que também está de parabéns pela temporada impressionante que nos apresentou.

Disputa aérea entre Paul Jonass e Tim Gajser. foto: MXGP

Disputa aérea entre Paul Jonass e Tim Gajser. foto: MXGP

Classificação do campeonato após todas as etapas:

  1. Tim Gajser 589 pts – 4º lugar na etapa e Campeão da temporada 2015
  2. Paul Jonass 564 pts – Fora dos 8 primeiros
  3. Max Anstie 537 pts – 5º no GP
  4. Valentin Guillod 511 pts – 3º no GP
  5. Jeremy Seweer 496 pts – 7º no GP
  6. Julien Lieber 430 pts – Fora dos 8 primeiros
  7. Jeffrey Herlings 423 pts – Lesionado há MUITAS etapas
  8. Jordi Tixier 393 pts – Lesionado há MUITO MAIS etapas que Herlings

Que temporada meus amigos, que final de temporada. No começo do ano eu nunca pensei que um dia iria chegar aqui e dizer que Tim Gajser seria o campeão, mas novamente fomos surpreendidos pelas reviravoltas que somente esse esporte maravilhoso pode nos dar. Continuo sem palavras para finalizar com chave de ouro de modo como esse campeonato merece, ainda mais nesse GP onde o portal MXGPtv não forneceu a quantidade de vídeos esperada e ficamos “na mão”.

MX2podium_MXGP_18_USA_2015

Agradeço a todos os pilotos, alguns que subirão para a MX1, mas ainda assim obrigado, vocês foram os protagonistas de nossas matérias e nada disso teria sido possível. Obrigado ao Alessandro Azzi e a Fernanda Alves, donos do AS e responsáveis pela parceria com a nossa tão querida Braaap Brother’s e obrigado a vocês que está nos lendo, mais do que nunca muito obrigado, sem vocês nada disso teria sido possível, o meu mais profundo muito obrigado!

E nos vemos amanhã, pois ainda falta saber todos os detalhes da MXGP! Espero que tenham gostado, um forte abraço e até a próxima!

gajser

Comentários

Comentáros

Leave a Reply