MUNDIAL DE MOTOCROSS 2016 MX2 – ABERTURA QATAR (LOSAIL)RA

Fala galera! Tudo bem com vocês nessa quinta feira chuvosa?

Comigo esta tudo ótimo!

Ontem vocês conferiram aqui a matéria da Abertura do Campeonato pela classe principal, a MXGP (450cc). Caso não tenham visto, é só clicar AQUI!

Pois bem, mas o espetáculo não parou por ai, aqui vamos nós falar sobre a categoria MX2! Vamos nessa?

Grandes e escorregadias cavas foram alguns dos desafios que os pilotos da MX2 tiveram de enfrentar. foto: MXGP

Grandes e escorregadias cavas foram alguns dos desafios que os pilotos da MX2 tiveram de enfrentar. foto: MXGP

E na verdade, o resultado foi como já esperavamos. Sem Tim Gajser, não houve alguem capaz de bater Jeffrey Herlings. O holandês voador permaneceu mais um ano na MX2 (e acredite isso já virou discussão longa por aqui) e parece destinado a recuperar o título (assim como estava na ultima e penultima temporada atrás, quando em ambas as situações jogou fora as chances de título por conta de duas lesões).

Herlings acelerou forte em Doha, para sair na frente e provou mais uma vez seu favoritismo. foto: MXGP

Herlings acelerou forte em Doha, para sair na frente e provou mais uma vez seu favoritismo com vitória nas duas baterias. foto: MXGP

Um dos pontos fortes da etapa foi a disputa entre Herlings e Dylan Ferrandis, na primeira bateria, onde a ultrapassagem ocorreu somente a três minutos do final! Confira:

Depois de Herlings, o cara que chegou mais perto da vitória foi Dylan Ferrandis! O piloto da Kawasaki que se envolveu em algumas polêmicas no ano passado (quem não se lembra da punição após chutar a moto do Paul Jonass), veio pra 2016 como principal piloto do time verde! E mesmo lutando bem na primeira bateria, na segunda, a distância para o ponteiro era de bons 17 segundos.

Ferrandis acelerou o suficiente para garantir um 2-2 sem muita dificuldade e logo a segunda posição na geral. Ferrandis também protagonizou uma batalha espetácular com Jeremy Seweer, que você confere aqui embaixo! foto: Ray Archer

Ferrandis acelerou o suficiente para garantir um 2-2 sem muita dificuldade e logo a segunda posição na geral. Ferrandis também protagonizou uma batalha espetácular com Jeremy Seweer, que você confere aqui embaixo! foto: Ray Archer

 

E se a KTM não ficou satisfeita com a perfomance final na categoria principal, não pode-se dizer o mesmo da MX2. Além da vitória geral de Herlings, Paull Jonass colocou a segunda moto do time no terceiro degrau do podium. Consistente, Jonass fez boas ultrapassagens para garantir a terceira colocação. Acho que pode vir a ganhar alguma bateria ao longo do ano.

Jonass que estreou ano passado chegou até a disputar o título, mas alguns incidentes e perfomances catastróficas o tiraram do jogo. Com Herlings na briga, as coisas ficam mais dificeis, mas uma terceira colocação na geral não é um resultado ruim principalmente com um 3-3 e se tratando de Losail, pista de gosto duvidoso entre os pilotos. foto: Ray Archer

Jonass que estreou ano passado chegou até a disputar o título, mas alguns incidentes e perfomances catastróficas o tiraram do jogo. Com Herlings na briga, as coisas ficam mais dificeis, mas uma terceira colocação na geral não é um resultado ruim principalmente com um 3-3 e se tratando de Losail, pista de gosto duvidoso entre os pilotos. foto: Ray Archer

Honestamente, quem me surpreendeu muito foi o quarto colocado. Embora tenha ficado fora do TOP3, o que mais vimos nesse final de semana foi Seweer brigando pelas posições da frente e em nenhuma delas entregou de mão beijada. Pra alguem que mal falamos aqui ano passado, eu sinceramente estou impressionado.

Além da perfomance impressionate, a Suzuki de Jeremy Seweer na minha opinião é uma das motos mais bonitas que tem no gate de largada. O piloto ficou com a quarta colocação após um ótimo resultado de 5-4. Veja abaixo outra bela ultrapassem. foto: MXGP

Além da perfomance impressionate, a Suzuki de Jeremy Seweer na minha opinião é uma das motos mais bonitas que tem no gate de largada. O piloto ficou com a quarta colocação após um ótimo resultado de 4-5. Veja abaixo outra bela ultrapassem. foto: MXGP

 

O top5 foi finalizado com um nome que eu sinceramente nunca ouvi falar, Brent Van Doninck. Sério, como eu gosto quando isso acontece, esses meninos inconsequentes que nunca andaram na frente e começam a deixar os mais experientes para trás. Resta saber se Van Doninck vai manter o bom ritmo daqui pra frente, e nesse caso, prefiro esperar pra ver.

Brent Van Donick acelerou forte sua Yamaha para fechar o top5 com um 8º lugar na primeira bateria e um inacreditável 4º na segunda. foto: MXGP

Brent Van Donick acelerou forte sua Yamaha para fechar o top5 com um 8º lugar na primeira bateria e um inacreditável 4º na segunda. foto: MXGP

Sério amigos, que belíssimo começo de temporada. Será que Herlings dessa vez vai manter seu favoritismo? Será que alguem vai desenvolver uma velocidade a mais pra acompanhar o campeão?

Essas e outras respostas eu não acho que nós conseguimos responder, minha opinião? Bem, vamos acompanhar as próximas corridas 😉

MX2startSat_MXGP_1_QAT_2016

Então por hoje é só pessoal, espero que tenham gostado da nossa matéria, e que não deixe de nos acompanhar pois semana que vem você confere aqui mesmo a matéria da segunda etapa, que vai rolar esse final de semana na Thailândia.

Abraaapços e até a próxima!

MX2podium_MXGP_1_QAT_2016

Comentários

Comentáros

Leave a Reply