MUNDIAL DE MOTOCROSS 2016 – MXGP LETÔNIA 6ª ETAPA

Boa tarde galera, como vão vocês?

Acho que nunca estive tão empolgado pra escrever sobre uma etapa, e vocês vão entender porque! Que gp, senhores, que gp. A começar pela pista da Letônia, que já fora palco do Motocross das Nações alguns anos atrás. Arenosa até o ponto certo, rápida, com topografia plana e acidentada de forma natural, resumindo, motocrossão show demais.

As belíssimas disputas da MXGP deixaram o público maluco. foto: MXGP

As belíssimas disputas da MXGP deixaram o público maluco. foto: MXGP

E que tal irmos a cereja do bolo, as corridas ?

O que dizer de um campeonato onde todos os 6 GP’s disputados até então foram vencidos pelos pilotos da “nova era” da MXGP. Bem, foram 4 vitórias para Tim Gajser (revelação total dessa temporada) e 2 de Romain Febvre (campeão e revelação do ano passado). E novamente, na Letônia, eles deram um baita show!

Dessa vez a matéria vai ser um pouco diferente. Vou resumir em detalhes as baterias para que vocês entendam do que estou falando. Vamos lá:

Na primeira largada do final de semana, o holeshot foi do italiano Antonio Cairoli, que tinha o alemão Max Nagl na sua cola e o rookie sensation Tim Gajser em terceiro. Romain Febvre largou mais de trás e sofreu uma pequena queda na primeira metade da bateria, apagando o que podia ser ainda melhor. Gajser tratou de ultrapassar Cairoli, e depois acelerou para ultrapassar Nagl e vencer o GP. Final: Gajser, Nagl, Cairoli, Horebeek e Febvre no top5.

O piloto eslovênio acelerou forte e abriu bons segundos de vantagem do alemão Max Nagl. Mas foi na segunda bateria aonde a parada pegou fogo de verdade...

O piloto eslovênio acelerou forte e abriu bons segundos de vantagem do alemão Max Nagl. Mas foi na segunda bateria aonde a parada pegou fogo de verdade…

Na segunda bateria um começo parecido, Cairoli fez o holeshot com Nagl em segundo e Tim Gajser em terceiro, e foi ai que tudo mudou, (vídeo abaixo).

Após três minutos de prova, Tim Gajser conseguiu a segunda posição do alemão da Husqvarna, porém ao entrar na sessão das costelas que o mesmo atacava com agressividade absurda acabou levando um forte tombo, e não parou por ai, ainda derrubou junto com ele Max Nagl que vinha na bota e não conseguiu desviar. Nisso, ambos perderam muitas posições. Nagl voltou ao jogo em 16, mas pior foi para Gajser que voltou a pista somente na 23 colocação.

Mas como eu disse, pior para Gajser e melhor para nós. Dai em diante começou uma fantástica prova de recuperação por parte dos dois acidentados, principalmente de Gajser, que resolveu entortar o cabo e deixou simplesmente a torcida enlouquecida. Veja algumas das ultrapassagens do piloto da Honda.

Até o presente momento, estava Febvre em primeiro com Cairoli em segundo, Max Nagl em quarto e Gajser vinha em sexto lugar. Sendo assim, a vitória era de Cairoli a dois pontos de Gajser e Febvre. Para vencer, Gajser tinha que ultrapassar Max Nagl pela quarta colocação e assim seria o vencedor do GP.

Eis que…

IMPRESSIONANTEMENTE, na última volta da corrida Gajser consegue ultrapassar Nagl e confirma a vitória na etapa! Que GP senhores! Que GP…

ABSOLUTO, MAGNÍFICO, TIM GAJSER NOS MOSTRA PORQUE O MOTOCROSS É O MELHOR ESPORTE DO MUNDO INTEIRO. Mais uma vitória pro rookie sensation desse ano, totalizando a quarta da temporada e colocando fogo na briga pelo campeonato. foto: Instagram

ABSOLUTO, MAGNÍFICO, TIM GAJSER NOS MOSTRA PORQUE O MOTOCROSS É O MELHOR ESPORTE DO MUNDO INTEIRO. Mais uma vitória pro rookie sensation desse ano  (4-1), totalizando a quarta da temporada e colocando fogo na briga pelo campeonato. foto: Instagram

A segunda colocação ficou com o italiano Antonio Cairoli. De certa forma o GP foi frustrante ao piloto da KTM 7x campeão mundial, pois a vitória era certa até a ultima volta… Essa é a segunda vez que o piloto bate na trave, e ao que parece, o mesmo não vai conseguir o primeiro posto com um Romain Febvre constante e um Tim Gajser disposto a vencer a qualquer custo (mesmo depois de uma queda considerável e da corrida de recuperação mais épica dos últimos tempos.

Italiano ficou a apenas um ponto da vitória na geral, após o 3-2 do GP. foto: Instagram do piloto

Italiano ficou a apenas um ponto da vitória na geral, após o 3-2 do GP. foto: Instagram do piloto

A terceira colocação do pódium ficou com o vencedor da segunda bateria, Romain Febvre, que ficou a dois pontos da vitória de Gajser e logo, consequentemente a um ponto da segunda posição de Cairoli.

Esse não o primeiro dos gp’s que o piloto francês tem caído sozinho. Sera Febvre a sua maior ameaça no campeonato? Ainda assim toda a velocidade do francês foi a responsável pela vitória na segunda bateria, lição de casa com sucesso após o quinto lugar na primeira bateria. Veja a ultrapassagem de Febvre em cima de Cairoli que garantiu a liderança ainda pro piloto da Yamaha.

Romain Febvre em ação na Letônia. Esse não foi um dos melhores finais de semana para o atual campeão da MXGP. foto: MXGP

Romain Febvre em ação na Letônia. Esse não foi um dos melhores finais de semana para o atual campeão da MXGP. foto: MXGP

Jeremy Van Horebeek "matando" sua Yamaha em ação na Letônia. O belga ficou com a quarta colocação após um 4-3. foto: MXGP

Jeremy Van Horebeek “matando” sua Yamaha em ação na Letônia. O belga ficou com a quarta colocação após um 4-3. foto: MXGP

Quem merece um certo destaque também foi Max Nagl. Também teve uma baita corrida de recuperaçao na segunda bateria, ainda que menos brilhante que a de Gajser, merece nosso reconhecimento. Saiu da 16a colocação para a quinta posição (era quarto até ser ultrapassado pelo piloto da Honda Gariboldi na última volta).

Alemão da Husqvarna finalizou o top5 nesse final de semana. Cada final de semana é notável a evolução do alemão, que cada vez está mais apto a brigar pela ponta. Dessa vez o tombo na segunda bateria atrapalhou bem o que seria um resultado ainda melhor. 2-5 para Nagl. foto: MXGP

Alemão da Husqvarna finalizou o top5 nesse final de semana. Cada final de semana é notável a evolução do alemão, que cada vez está mais apto a brigar pela ponta. Dessa vez o tombo na segunda bateria atrapalhou bem o que seria um resultado ainda melhor. 2-5 para Nagl. foto: MXGP

MXGPpodium_MXGP_6_LV_2016

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO APÓS 6 ETAPAS

  1. Romain Febvre – 260 pts
  2. Tim Gajser – 259 pts
  3. Antonio Cairoli – 213 pts
  4. Max Nagl – 203 pts
  5. Jeremy Van Horebeek – 200 pts

Engraçado como os 5 primeiros do campeonato são praticamente os 5 primeiros em todos os GP’s até agora, e também como existem dois pelotões separados, e que podem se juntar a qualquer momento.

Explicando melhor…

A briga pela liderança é acirrada, Romain Febvre e Tim Gajser estão a apenas um ponto de diferença e cada detalhe faz a diferença. Um pouco mais longe está Antonio Cairoli na terceira posição trazendo consigo Nagl e Horebeek (4 e 5 respectivamente), ambos com praticamente a mesma diferença para o italiano. O ponto importante é, com a disputa acirrada entre os pilotos Romain Febvre e Tim Gajser, eu aposto que os dois querem mostrar para o que vieram. Com isso, ambos estão buscando além do limite. Gajser é até notavel pela velocidade como anda e a superioridade em meio aos outros (faço menção a Eli Tomac no AMA Motocross no ano passado, e o final vocês já conhecem)… Em meio a isso, Febvre tem uma vantagem. Mas esse é o segundo GP consecutivo que Febvre toma um tombo besta sozinho, então honestamente, TUDO é possível quando falamos da vontade de vencer desses caras.

Mais uma porque ele merece.

Mais uma porque ele merece.

E é isso ai pessoal. Amanhã vocês conferem por aqui a matéria da MXHerlings, ops, digo, MX2!

Espero que tenham gostado da matéria, e do formato como ela foi apresentada! Sugestões e críticas serão totalmente aceitas. Muito obrigado pela companhia e até a próxima! Aquele abraaapço.

Comentários

Comentáros

Leave a Reply