MUNDIAL DE MOTOCROSS 2016 – MXGP PATAGÔNIA 3ª ETAPA

Salve salve hermanos!

O Mundial de Motocross chegou a sua quarta etapa, no país vizinho nosso, a Argentina! Caraca galera que pista completamente animal. Sem dúvidas é a minha pista favorita do calendário.

O solo da pista de Nequen, localizada na Patagônia é oriundo de uma área onde há alguns anos havia um vulcão ativo, sendo assim único em todo o calendário. Que belíssimo GP amigos, e as corridas foram tão boas quanto! Estão prontos?

Não sei se vocês lembram, mas ano passado esse foi o GP mais icônico de todos. A segunda bateria teve Clement Desalle na frente, com Antonio Cairoli na cola, Max Nagl em terceiro e Vilopotto em quarto. Ambos na MESMA reta, com um pouco mais de dois segundos de diferença do primeiro ao quarto colocado. PRIMEIRO AO QUARTO.

Dessa vez não houve uma disputa lendária assim, mas olha, não desapontou! Confira:

Deu pra ver o quanto foi acirrado né?

Mas ainda que disputado, tem de haver um vencedor, e seu nome é Tim Gajser!

Isso mesmo galera, o novato da equipe satélite gariboldi Honda que vem mostrando toda sua velocidade dessa vez teve que suar forte para sair com a vitória na geral. Na primeira bateria, bem que tentou mas a má largada não permitiu uma aproximação do líder Max Nagl ainda no início da prova, e também encontrou um Antonio Cairoli disposto a não entregar o osso de graça. Na segunda bateria, com uma melhor largada, Gajser assumiu a ponta e venceu sem maiores problemas desde o início.

Tim Gajser em ação nas terras argentinas. O jovem piloto de apenas 20 anos tem neste final de semana a segunda vitória já nessa temporada, vindas de um 3-1. foto: Instagram do Piloto

Tim Gajser em ação nas terras argentinas. O jovem piloto de apenas 20 anos tem neste final de semana a segunda vitória já nessa temporada, vindas de um 3-1. foto: Instagram do Piloto

Eu sabia, tava batendo na trave! Mas finalmente chegou, Toni Cairoli volta ao pódium!

Quem acompanha a carreira do piloto sabe que o mesmo demora um certo tempo até mostrar sua velocidade habitual, e eu acredito de forma considerável que é isso que está acontecendo. O italiano hepta campeão do mundo, fez duas baterias extremamente constantes e conseguiu dois segundos lugares em ambas. Batalhou de igual pra igual com Tim Gajser, o sangue novo da categoria, e na geral ficou a apenas um ponto da vitória (44 contra os 45 de Gajser)

Cairoli voando alto no maior salto do circuito no estilo animal do italiano. Será Toni capaz de bater os rivas? foto: Instagram do piloto

Cairoli voando alto no maior salto do circuito no estilo animal do italiano. Será Toni capaz de bater os rivas? foto: Instagram do piloto

E não foi só Cairoli que voltou ao pódium depois de uma longa fase de “férias” do mesmo. Max Nagl, não vinha fazendo parte do mesmo desde seu tombo na Alemanha na temporada passada. Na argentina acelerou forte o bastante para caçar a ponta na primeira bateria e garantir a vitória. Infelizmente na segunda bateria não conseguiu manter o mesmo ritmo da primeira e finalizou na quinta colocação.

Nagl mostrando que ainda tem muita lenha pra queimar. 1-5 foram suficientes pra garantir a última posição no top3. foto: Instagram DS2 Photos

Nagl mostrando que ainda tem muita lenha pra queimar. 1-5 foram suficientes pra garantir a última posição no top3. foto: Instagram DS2 Photos

Vocês não estranharam a ausência de ninguém não? Pois é, Romain Febvre ficou de fora do TOP3. Esse não foi um final de semana como de costume do piloto francês, que caiu nas duas baterias, não conseguindo resultados na ponta costumeira. Um opaco sexto lugar na primeira bateria tirou todo o brilho da terceira colocação da segunda bateria. Logo, o 6-3 deixou Febvre na quarta colocação.

Fenbre na busca por Jeremy Van Horebeek com o apagado Tommy Searle levando volta dos dois. Um fato interessante é que Horebeek tem dado trabalho para Febvre pelo segundo GP consecutivo. foto: MXGP

Fenbre na busca por Jeremy Van Horebeek com o apagado Tommy Searle levando volta dos dois. Um fato interessante é que Horebeek tem dado trabalho para Febvre pelo segundo GP consecutivo. foto: MXGP

E por falar em Horebeek, vou me limitar a um vídeo e uma foto. A conclusão é por conta de vocês.

Preciso falar alguma coisa sobre o que Horebeek está acelerando ou deu pra entender? 5-4 deram o 5º na geral pro piloto. foto: MXGP

Preciso falar alguma coisa sobre o que Horebeek está acelerando ou deu pra entender? 5-4 deram o 5º na geral pro piloto. foto: MXGP

Pelo campeonato, as coisas esquentaram por aqui! Vejamos a tabela:

  1. Romain Febvre – 172 pts
  2. Tim Gajser – 169 pts
  3. Toni Cairoli – 144 pts
  4. Horebeek – 138 pts
  5. Bobrishev- 134 pts

A briga pelo campeonato continua pegando fogo! Com o vacilo de Febvre, Gajser encostou e agora está somente a três pontos do francês. 25 pontos atrás esta Toni Cairoli, que aproveitou o vacilo de Bobrishev para assumir a terceira colocação no campeonato. 25 pontos é uma bateria, e na velocidade que esses caras andam, não é nula a possibilidade de um abandono. Definitivamente essa não é uma diferença impressionante.

E por falar em Bobrishev, o russo da equipe oficial Honda tinha tudo pra mais um final de semana brilhante. Terminou a primeira bateria em 4º colocado, mas na segunda um forte tombo o tirou do jogo, o levando lá pro pelotão de trás.

Evgeny Bobrishev está aproveitando a ausência de Gautier Paulin para assumir o posto de primeiro piloto do time. O que acham? Acredito que estilo ele tenha de sobra. foto: MXGP

Evgeny Bobrishev está aproveitando a ausência de Gautier Paulin para assumir o posto de primeiro piloto do time. O que acham? Acredito que estilo ele tenha de sobra. foto: MXGP

E por hoje é só pessoal, espero que tenham sentido lendo quase a mesma emoção que eu senti assistindo a prova. Por hoje é só, e amanhã vocês conferem aqui mesmo tudo que rolou com os garotos da MX2.

É nois, até a próxima e não deixem de ficar ligados! Obrigado pela companhia e braaaap!

Comentários

Comentáros

Leave a Reply